ACOMPANHE A PREFEITURA NAS REDES SOCIAIS Facebook Twitter Youtube SoundCloud Instagram
Home|Notícias|Fundação Bernard Van Leer discute primeira infância com servidores municipais
NOTÍCIAS
Social
05/05/2017 11h11
Fundação Bernard Van Leer discute primeira infância com servidores municipais
Foto: Fernando Teixeira
A visita tem o intuito de apresentar propostas de projeção da cidade para crianças pequenas.

Conhecer Boa Vista e formar propostas que reforcem o olhar para a Primeira Infância. Este é o objetivo da visita das representantes da Fundação Bernard Van Leer, Fernanda Vidigal e Irene Quintáns à capital. Nessa quinta-feira (4), elas se reuniram com os servidores das secretarias municipais, no Centro de Ciência, Tecnologia e Inovação (CCTI) para apresentar propostas de projeção da cidade para o público infantil e para famílias com crianças pequenas.

Entre os convidados, engenheiros, urbanistas, arquitetos, servidores da saúde, da educação, do social e secretários municipais. A palestra buscou difundir a importância de projetar cidades sob o ponto de vista das crianças, proposta pelo programa Urban95.

Esta é uma iniciativa da instituição através da qual se pretende pensar em uma resposta para a seguinte pergunta: Se você pudesse ver a cidade a partir de uma elevação de 95 cm - altura média de uma criança de 3 anos - o que você faria de diferente?

A intenção é apresentar ideias inovadoras que possam ajudar no planejamento urbanístico da cidade, usufruindo dos programas que a prefeitura já desenvolve. A Fundação é uma instituição holandesa que atua apoiando diversos projetos no Brasil e no mundo, e uma entidade das mais respeitadas e atuantes no desenvolvimento infantil.

A palestrante Irene Quintáns, arquiteta urbanista, consultora da Fundação, quis mostrar aos servidores que uma ação simples, sutil e delicada interfere e se torna importante para a primeira infância. Ela sugeriu usar a criatividade dos jovens do Projeto Crescer para produzir algo que melhore confortavelmente o ambiente da cidade, para crianças, gestantes e idosos.

E como exemplo, bancos fabricados com pneus, para instalar em diversos pontos da cidade, com o intuito de serem usados pela mãe como local para amamentação, e também para descanso do idoso, além de diversos outros benefícios.

“Nosso papel no workshop não é trazer um catálogo de soluções prontas para Boa Vista e sim trazer ideias e sugestões para que os servidores da cidade possam pensar em soluções reais para Boa Vista", disse Irene Quintáns.
 
Boa Vista tem inúmeros exemplos de ações já executadas pelo município, por meio do Programa Família que Acolhe e de uma rede integrada de serviços sociais. Não se trata apenas de ações, o plano é pensar em como a criança usa a cidade para o seu crescimento e desenvolvimento. Ações que garantem o desenvolvimento saudável da criança dentro do contexto urbano.
 
O servidor Edward Soares, urbanista do Programa Braços Abertos, comentou a importância da ideia de planejar a cidade com essa intenção urbanística pensada e voltada para este público. “Isso é algo que aprendemos na faculdade de arquitetura, aprender a fazer projetos de joelho no chão para imaginar a visão da criança, sendo que ela tem alguns riscos que adulto não tem", disse.
 
Edward Soares citou como exemplo, o canto da mesa, onde o adulto pode no máximo bater a perna no local, enquanto uma criança pode bater a cabeça. "Isso se estende para a cidade, em pensar no tamanho do degrau, nas calçadas. E não é só físico é uma questão sensorial, como eu me sinto seguro e confortável usufruindo a cidade”, ressaltou.
 
Boa Vista ainda precisa melhorar, em alguns pontos, para se tornar a melhor capital do Brasil em qualidade de vida e se tornar a Capital da Primeira Infância. Mas aos poucos, a prefeitura vem adequando a cidade para o público infantil, como a revitalização das praças e a construção de novos espaços públicos, que tem levado inúmeras famílias a usufruírem mais dos ambientes livres da cidade.
 
Para a prefeita de Boa Vista, Teresa Surita, os novos abrigos de ônibus adesivados promovem o fortalecimento dos vínculos afetivos com os pais, enquanto esperam o transporte coletivo. “Nessa construção de uma rede de proteção e desenvolvimento infantil, existem várias ações que sustentam o nosso propósito de transformar Boa Vista na Capital da Primeira Infância. Além do FQA, temos os projetos sociais, o trabalho nas escolas e nas obras feitas pela cidade que evidenciam um olhar diferenciado para as crianças. Temos que melhorar, mas já demos passos importantes”, disse a prefeita.
 
FALE BOA VISTA LIGUE 156
Prefeitura Municipal de Boa Vista, Trabalhar e Cuidar das pessoas
Prefeitura Municipal de Boa Vista
Palácio 9 de Julho | Rua General Penha Brasil, 1011 - São Francisco | CEP: 69305-130 TELEFONE: 156 | Boa Vista - Roraima - Brasil